Institucional Consultoria Eletrônica

Série Lucro Presumido - Conclusão


Publicada em 04/01/2011 às 12:00h 

A empresa que escolher o Lucro Presumido precisará fazer um estudo delineado sobre a lucratividade, sendo que o lucro da atividade da empresa deve ser seguramente maior que o Lucro presumido pela legislação.

A empresa deve ficar prevenida que os ganhos de capital, receita financeira, descontos obtidos e demais receitas não tem redução do percentual da base de cálculo, devendo ser calculado o Imposto de Renda sobre a totalidade.

A opção pelo Lucro Presumido se dá mediante o pagamento da DARF, código Lucro Presumido, sendo que durante o ano-calendário não pode alterar a opção para o Lucro Real. Assim, mesmo que a empresa tenha prejuízo na sua atividade deve pagar o IRPJ e a CSSL nos quatro trimestres do ano em que optou pelo presumido.

BIBLIOGRAFIAS:

- Lei Nº 9.718/98

- Lei Nº 10.637/2002

- RIR, artigos 519, 521 e 536

- COAD, EQUIPE TÉCNICA. IRPJ 2010. COAD, 2010.

- http://www.receita.fazenda.gov.br/PessoaJuridica/DIPJ/2009

Acesse aqui a série publicada até o momento

Autores:Deise Motta Diaz, Fabiane Zandonai da Silva e
Tielly Dlugokinski Peixoto, Acadêmicos de Ciências Contábeis na Faculdades Integradas São Judas Tadeu.






Veja as matérias na seção 'Série Imposto de Renda Lucro Presumido'.
Telefone (51) 3349-5050
Vai para o topo da página Telefone: (51) 3349-5050